(+18) Te dou meu poema sujo

Você sempre soube de tudo. Tudo. Se lembra que me olhava com desfaçatez ainda sóbrio e quando me chamou fingia lucidez? Ah... Os meus lábios continuam pintados de carmim e os mesmos ainda só deixam manchados copos e corpos. Meu hálito também permanece o mesmo, intragável pelo conhaque e por excremento de outros. Não, não mudei nada, sou a mesma impudica e ébria que vive anestesiada da realidade sob o efeito de líquidos que ardem no palato, que descem rasgando goela abaixo e que queimam o estômago. Eu sou imunda, moço, e mesmo assim você me levou praquela cama e fodeu com a minha vida. Não era pra ser assim, será que você me entende? Quando fixou seus olhos amendoados nos meus e procurou minha boca com a sua já entreaberta, eu bobeei e me deixei ser sua. Com você era visceral. Minhas unhas cravavam-se em suas costas, arranhava lhe a pele e eu sussurrava nomes e gemidos a cada encontro afoito dos nossos corpos. Quanto tempo eu não sentia algo assim? Nem eu sei mais. Depois da segunda vez eu parei de contar. Assim, sem seu alvará sobrevivia das suas poucas notas e me tornei sua puta particular. Mas meu caminho entortou e foi você quem me provocou. Eu queria ter parado antes, ou melhor, não deveria ter começado... E, agora, estou aqui torpe e entre meias palavras vagabundas como sempre querendo que você peça pra eu voltar.

P.S.: Te dou meu poema sujo.

11 comentários:

  1. Descreveu exatamente como me sinto, como sou.

    ResponderExcluir
  2. A descrição perfeita do que tô sentindo! Ótimo texto, amei.

    ResponderExcluir
  3. nossa viajei nesse texto... muito bom!!

    ResponderExcluir
  4. Que saudade de ti ler...
    Como sempre belo conto, Babs!!!

    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  5. Uau!!!! Bem, eu estou boquiaberta... E quem nunca desejou ter alguem a quem oferecer um poema sujo???

    ResponderExcluir
  6. E não deixa de ser um poema de amor... ou quase.
    Muito legal!

    ResponderExcluir
  7. sujo e sórdido, mas ao mesmo tempo nada disso. Sei lá, acho que não é nada disso. Mas se for, que seja exatamente o contrário.

    abraço.

    ResponderExcluir
  8. E aí, aquela que estava acostumada a usar e ser usada se envolveu sentimentalmente por alguém.
    Adorei o verso nem tão sujo assim. rs

    ps: a minha universidade não tem muito suporte para aulas práticas também, mas o meu professor de fotografia tem muitas câmeras e a facul tem umas cinco só. Ai ele divide o pessoal e todo mundo consegue mexer um pouco. rs


    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Está aí uma coisa que eu invejo em você - isso de você saber usar as palavras sem pudor. Por mais que eu tente, meu Deus como me é impossível essa faceta - Admiro e gosto de ler!

    Beijos

    ResponderExcluir

✖ Não faça propaganda de seu blog;
✖ Se discordou de algo, não publique comentários anônimos;
✖ Não é avisando que (per)segue meu blog que será recíproca;
✔ Retribuirei qualquer comentário se possuir blog;
✔ Estou aberta a críticas construtivas e a novas amizades...
♥ Desde já, agredeço sua opinião!